feira da república

O comércio da arte em espaços públicos

Com 11,89 milhões de habitantes, São Paulo é a cidade que contém a maior quantidade de pessoas do mundo. Devido ao grande fluxo de transeuntes, a rua se torna um local propício para o comércio de produtos artísticos dos mais variados tipos, pois nela é possível um contato direto com o consumidor.

Existem mais de 900 feiras de artesanato espalhadas pela capital paulista, cada uma com sua particularidade e produtos específicos. Elas se localizam em diferentes regiões da cidade e são organizadas durante a semana. Entre telas, pinturas, desenhos, bolsas, peças de roupa e acessórios, objetos de decoração e itens culinários, é difícil não se encantar com o que é oferecido.

O artesão é reconhecido como artista, pois cada peça que produz é única e demanda um trabalho manual habilidoso. Os preços dos produtos são acessíveis e a comida é sempre fresquinha e saborosa, por isso, as feiras são sempre uma ótima opção para passeios e compras.

Engana-se, porém, quem pensa que basta ter um produto diferente para montar sua barraquinha e começar a ganhar dinheiro com sua arte. O decreto municipal número 43.798, de 16 de setembro de 2003, instituído pela então prefeita Marta Suplicy, regulamenta o funcionamento das feiras de arte, artesanato e antiguidades no município de São Paulo e delimita que tipos de produtos podem ser comercializados e os deveres e direitos dos expositores.

Além disso, as feiras de rua geralmente são organizadas pelas subprefeituras dos municípios e para participar delas é necessário aguardar a abertura de inscrições, o que não ocorre com frequência. A criação de novas vagas depende de diversos fatores, então, o interessado deve acompanhar o Diário Oficial do Município, que irá publicar essas oportunidades quando elas surgirem.
Quando as vagas estiverem oficialmente abertas, o artesão deve comparecer à subprefeitura para ter seus trabalhos e objetivos profissionais analisados por uma comissão e deve aguardar uma resposta. Caso o interessado seja convocado, será emitido um Termo de Permissão de Uso (TPU), que é justamente a licença para o mesmo expor na feira escolhida.

Feira da Liberdade

feira da liberdade

Foto: Luciana Carpinelli/cozinhandopara2ou1 com.br

Inaugurada em 1975, a Feira de Arte, Artesanato e Cultura da Liberdade foi criada para expor o trabalho dos imigrantes japoneses e tornar sua cultura mais conhecida entre os brasileiros. Hoje, a feirinha reúne artesão de diferentes nacionalidades e, além de produtos típicos da cultura japonesa, é possível encontrar sabonetes, velas, artigos em couro, bijuterias, plantas, esculturas, quadros e outros artigos. Durante o ano, ocorrem eventos tradicionais japoneses incorporados à cultura paulistana e festivais com a participação das colônias japonesa e chinesa.

*Av. Liberdade, 365 – Liberdade, São Paulo (sábados e domingos – das 9 às 17h)

Feira da Praça Benedito Calixto

feira da benedito calixto

Foto: agendadasemana.wordpress.com

A feira da Praça Benedito Calixto é conhecida como uma das melhores feiras de antiguidades e artesanato do Brasil. Ela acontece desde 1987 e reúne todos os sábados mais de 300 expositores. Entre os produtos oferecidos, encontramos obras de artes, discos de vinil, móveis e objetos de decoração antigos, brinquedos e roupas. Na praça de alimentação, as comidas típicas dão água na boca e são acompanhadas pelo chorinho de Canário e seu Regional. Duas vezes por mês também acontece o projeto “Autor na Praça”, em que os autores fazem lançamentos de livro e podem conversar com os visitantes da feira.

*Praça Benedito Calixto, 158/162 – Pinheiros, São Paulo (sábados – das 9 às 19h)

Feira da Paulista (MASP)

feira do masp

Foto: Be Moraes/aliceincarnival.wordpress.com

Criada há mais de 25 anos, a Feira de Antiguidades da Paulista é um paraíso para colecionadores. Nela, os visitantes encontram câmeras fotográficas, canetas, porcelanas, brinquedos, miniaturas, joias, moedas, relógios e muitas outras peças antigas que enchem os olhos dos apaixonados por essas iguarias. A feira conta com o trabalho da Associação dos Antiquários do Estado de São Paulo, responsável pela administração, padronização visual, montagem, manutenção e realização das exposições.

*Avenida Paulista, 1.578 – Vão Livre do Masp, São Paulo (domingos – das 9 às 17h)

Feira da Praça da República

feira da república

Foto: Marcelo Duarte/spcuriosos.com.br

A Feira da Praça da República teve seu início com uma pequena feira de selos, que cresceu com a chegada de colecionadores de moeda e hippies ao local. Logo, o evento se transformou em um espaço voltado para a arte e o artesanato. Na feira, o visitante encontra produtos de decoração, acessórios, sabonetes, roupas, bijuterias e brinquedos. As principais atrações são as pinturas e os desenhos feitos pelos artistas locais ali mesmo. Grande parte dos artigos é vendida pelos próprios produtores, o que garante o contato direto entre o artista e o público, por isso, os preços são acessíveis.  Além disso, a pequena praça de alimentação conta com comidas deliciosas. Churrascos, doces e empanadas chilenas estão entre os itens mais procurados.

*Praça da República, s/n, próximo ao Metrô República – Centro, São Paulo (sábados e domingos – das 9 às 17h)

Foto de capa: Marcelo Duarte/spcuriosos.com.br

Maria Eduarda Amorim

Maria Eduarda Amorim

Jornalista, unespiana, apaixonada por músicas, séries e cachorros. Acredita que o mundo está cheio de histórias que merecem ser contadas. Gosta de pessoas, sorrisos e conversas.

Você também pode gostar de...

  • mayumijulia

    Eu AMO as coisas alternativas que vendem nessas feirinhas! A da Liberdade é a melhor <3 <3